Guarda Compartilhada

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Muito se tem estudado e discutido sobre a guarda compartilhada na atualidade. Falamos sobre sua aplicação, o que é a guarda compartilhada em si, suas possibilidades de convivência e nos inúmeros benefícios que ela traz, no sentido de oportunizar aos genitores, a participação na vida cotidiana do filho.

🔸Vejo que algumas pessoas, ainda sentem dificuldade em compreender os termos dessa lei, principalmente quando chega a hora de definir quem fica com a criança em cada horário.

🔻A lei diz, que a convivência deve se dar de forma equilibrada com ambos os genitores, mas não podemos interpretar que a criança deve ficar exatos 50% do tempo com cada genitor. O equilibrado, não pode ser interpretado matematicamente, mas sim proporcionalmente.🔺

🔸Uma criança que está em companhia materna durante 3 dias da semana e na companhia paterna os outros 4 dias, tem em si uma rotina de convivência equilibrada.

🔸Precisamos lembrar que a criança não é um objeto e não é saudável problematizar a convivência a esse ponto.

🔸Devemos pensar na logística das atividades da criança e ajustar o que fica melhor para ela, que deve ser preservada de qualquer interesse egoísta dos pais e guardiões. 😉

Gostou do post? Quer saber mais sobre o assunto? Me envia um direct