Guarda compartilhada – O direito à convivência é do filho

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Em tempos de pandemia mundial, todos estamos apreensivos com as consequências sociais, sanitárias e econômicas que a humanidade enfrenta em razão do vírus.

As medidas restritivas, impactaram em todas as relações e a de pais e filhos não é diferente! Brotaram inúmeras ações no judiciário, buscando solucionar demandas de convivência onde os pais brigavam por seus direitos e na maior parte dos conflitos, não compreendiam que o direito não era deles, mas sim da CRIANÇA.

Os pais têm o dever constitucional de promover e incentivar o contato do filho com o outro genitor. Sim, incentivar e promover!!! O bom senso deve ser o norte para amenizar os desentendimentos, evitando transtornos psíquicos e emocionais aos filhos em relação à convivência com seus genitores.

Então vamos dar 4 dicas para vocês, que costumam funcionar bastante nesses casos:

  1. Seja cordial com o outro genitor, o respeite e lembre-se do exemplo que você dará ao seu filho;
  2. Vai passar um feriado prolongado ou férias com a criança? Permita que ela tenha contato com o outro genitor, a cada dois dias, seja chamada de vídeo ou ligação comum;
  3. Se coloque no lugar do outro genitor! PAI não ajuda ficando com as crianças de vez em quando, pai tem obrigação de educar e criar os filhos!
  4.  Aproveite o homeschooling (educação domiciliar), siga o cronograma das atividades escolares. Aproveite essa oportunidade para participar mais da vida da criança durante o período que estiver em sua residência.